Quem Somos

Quem Somos

Missão Principal: Contribuir para a construção de uma rede de relações, que promova o resgate da cidadania e o direito da vida digna da população em situação de rua.

 

Eixos de Atuação

A Associação Rede Rua é uma Organização da Sociedade Civil (OSC), entidade beneficente, sem fins lucrativos que atua desde 1991. Nossa missão é contribuir para a construção de uma rede de relações, com o intuito de promover o resgate dos direitos à vida digna da População em Situação de Rua.

A Promoção Humana: visa prestar assistência social aos excluídos e buscar alternativas para solução dos problemas de subsistência, moradia, trabalho e defesa de direitos. Sensibiliza a sociedade para estes problemas, facilitando o intercâmbio com outras organizações que possuam os mesmos objetivos e atua promovendo atividades de relevância pública e social.

A Comunicação, Educação e Cultura: Visa documentar e construir a história de vida de luta dos grupos excluídos e suas organizações. Somar forças e ampliar a divulgação e denuncia com outras organizações. Colaborar na organização de eventos e projetos culturais e educacionais. Produzir e incentiva a criação de veículos de comunicação de acordo com as exigências legais e atender aos grupos excluídos.

A Articulação social: visa somar e contribuir com a organização e articulação dos grupos dos excluídos. Realizar ou participar de eventos para a promoção e reflexão de políticas públicas que contribuam para o avanço da cidadania e inclusão social.

História

Em 1989, Arlindo Dias (SVD), Lenir Albuquerque e Alderon Costa propuseram a criação de um serviço que atendesse a população de rua, de modo que criaram um Centro de Documentação e Comunicação dos Marginalizados (CDCM) que inicialmente era localizado na torre da igreja do Bom Jesus do Brás.

Em 1990 a Rede Rua assina o primeiro convênio com a Prefeitura Municipal de São Paulo (PMSP), para tanto, toma como empréstimo a pessoa jurídica do Centro Social Parque Fernanda.

Em 1998 o CDCM é reformulado e tem alguns projetos desmembrados. A partir daí, surge como entidade civil o nome de Associação Rede Rua que foca, neste momento,  prioritariamente, nos trabalhos de comunicação e assessoria. Cria-se, portanto, uma ideia de rede para evocar aos trabalhos de pequenos grupos, interligados de alguma maneira, em busca de uma sociedade diferente.

O primeiro projeto desenvolvido pela Rede Rua foi o jornal O Trecheiro – Notícias do Povo da Rua. Em sua trajetória, o jornal procurou desempenhar seu papel de denúncia das inúmeras situações de exclusão e violência vividas pelas pessoas em situação de rua. Como instrumento a favor desta população e por ela reconhecido.

A Rede Rua também continua prestando serviços de assistência social com o Núcleo de Conivência com Restaurante Comunitário (conhecido com Penaforte), que oferece cerca de 500 refeições diariamente e o centro de acolhida para adultos Pousada da Esperança que acolhe para pernoite e serve jantar e café da manhã diariamente para cerca de 150 pessoas e a Chapelaria Social, que oferece 80 vagas para guarda de bagagens pessoais, para além das bagagens, o projeto atua como uma casa de convivência, onde são realizadas atividades coletivas e oficinas de geração de renda, serve de referência de endereço para que a população ali atendida tenha um endereço fixo para recebimento de correspondência.